Vacina contra a Covid-19: confira os depoimentos dos primeiros profissionais da saúde que já foram imunizados em Búzios

A Prefeitura de Armação dos Búzios reuniu os depoimentos dos primeiros profissionais da saúde imunizados contra a Covid-19. A aplicação ocorreu de forma imediata após o recebimento do primeiro lote da vacina, na tarde de terça-feira (19), no Hospital Municipal Dr. Rodolpho Perissé.

Entre eles, estão os médicos, Dr. Carlos Raposo e Dr. Raymond Burke, as auxiliares de enfermagem, Therezinha Rodrigues, Elenita Pereira e Creuzimar Machado, além da Adriana Silva – irmã da primeira enfermeira vítima da Covid-19 na cidade.

Nos bastidores, a comoção foi grande por terem sido escolhidos para receber a primeira dose da tão aguardada vacina.

Confira os depoimentos

O médico, Dr. Carlos Raposo, tem 68 anos e estava de plantão na unidade:

“Eu me sinto lisonjeado. Dentre tantos outros médicos que trabalham no município, eu fui o escolhido para receber a primeira dose. Para nós que ficamos em contato direto com o vírus, vai diminuir a infecção causada pelo mesmo. O ideal é tomar as duas doses, embora não tenha a imunização de imediato, mas a longo prazo seremos imunizados. Importante, mesmo com a vacina, manter a higiene”.

Dr. Raymond Burke, médico afastado por ser do grupo de risco, tem 72 anos e quase 50 anos de profissão:

“Em função da faixa de idade e grupo de risco, a infectologista havia me tirado da linha de frente e mandou ficar em casa. Ser um dos primeiros a ser vacinado… não tenho palavras para agradecer. É um casamento entre eu e Búzios. Alegria que não dá nem para contar! Ficar em casa, sem poder trabalhar, é mortal, principalmente em não poder ajudar a população… então, vacinar é o grito de liberdade!”.

Elenita Pereira tem 58 anos e exerce a profissão de Auxiliar de Enfermagem há 30 anos: 

“É uma emoção muito grande para nós que trabalhamos na linha de frente dessa doença perigosa. Eu agradeço por ter sido escolhida e quero pedir às pessoas que continuem se cuidando, pois graças a Deus já temos a vacina para nos proteger. A vacina é muito importante”.

Creuzimar Machado, de 62 anos, é Auxiliar de Enfermagem e também estava de plantão no Hospital quando o imunizante chegou:

“A emoção é grande por ser uma das primeiras a receber a vacinação, um pouco nervosa, mais grata! O imunizante nos dá a segurança de estarmos bem, para tratar as pessoas que necessitam da gente. Importante frisar que o imunizante tem que ser completo com as duas doses e, mesmo depois de imunizado, continuar tomando todos os cuidados que tomamos hoje”.

Adriana Silva, irmã da primeira enfermeira vítima da Covid-19, fala sobre a importância da vacina em sua vida:

“A importância dessa vacina é a esperança de acabar com o vírus. Ser uma das primeiras pessoas a ser vacinada foi de suma importância para mim. Eu não tenho palavras para falar sobre o dia de hoje! Eu perdi minha irmã que era enfermeira aqui do Hospital Rodolpho Perissé para essa doença; isso foi tipo uma homenagem que fizeram para ela”.

Após esse grupo receber a imunização, a Secretaria de Saúde enviou os profissionais para vacinar Dona Eva, a quilombola mais idosa do Brasil, com 111 anos, que mora na Aldeia da Rasa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *