Bem-Estar promove ações remotas com assistidos no SCFV

Bem-Estar promove ações remotas com assistidos no SCFV


Com os decretos municipais que estabelecem medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo novo Coronavírus, que suspendem as atividades das unidades da Secretaria de Bem-Estar Social, crianças, adolescentes e idosos atendidos no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) não deixaram de receber atividades para fazerem em casa.

A Secretaria de Bem-Estar Social vem conduzindo a equipe de orientadores sociais e oficineiros por meio no núcleo da Coordenação Pedagógica para que as atividades aconteçam remotamente, utilizando as redes sociais, principalmente por aplicativos de mensagem.

As crianças, adolescentes e idosos participam do SCFV pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Centro Integrado de Convivência (Cic) e nas unidades da Casa da Criança.

As atividades socioeducativas e socioculturais são encaminhadas semanalmente para as crianças, adolescentes e idosos, garantindo meios para reforçar laços familiares com atividades lúdicas e educativas até que as atividades presenciais voltem acontecer após o achatamento da curva de propagação do Coronavírus.

“É preciso considerar também que o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos tem caráter preventivo e proativo, tornando-se importante permanecer construindo laços e contribuindo para o fortalecimento do convívio familiar, mesmo durante o período da pandemia”, relatou Jeane Felix, coordenadora pedagógica da Secretaria de Bem-Estar Social.

ATIVIDADES – Entre as atividades estão: sugestão de brincadeiras em família; contação de história através de vídeos produzidos pelos orientadores sociais; cartilhas educativas em PDF; cartilhas sobre prevenção ao coronavírus; vídeos recreativos e educativos (You tube); sugestões de atividades recreativas para fazer em casa; vídeos produzidos pelos oficineiros, orientando a prática de atividades físicas em casa, para idosos e adultos, entre outros.

“As atividades que os oficineiros dos Cras mandaram nesse período são muito importantes para mim e para meus amigos. Estou agora mesmo fazendo meu alongamento no quintal de casa e sempre que posso participo com um vídeo de aulas de canto ou das charadas”, contou Edson Pessoa do Nascimento, de 68 anos.

“O corpo é o bem maior. Ele guarda e reflete a alma. É preciso cuidar dele como se fosse uma pedra preciosa. Há sempre uma forma de aprender algo diferente, novo. É importante manter a mente e o corpo ocupados nesse momento”, disse Rayna Barbosa, oficineira de dança.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *